Domingo, 13 de Setembro de 2009

...

Procura os assuntos que queres estudar na barra lateral do blog

Create your own Animation

 

A disciplina de História ajuda-te a conhecer melhor o mundo em que vives. Através dela podes saber como evoluiu a humanidade, evitar certos erros e insistir no comportamento e valores que dignificam o homem e o tornam um ser superior. Passado, presente e futuro estão sempre interligados.

Clica neste link e aprende.

 

JOGOS

 

 

 

 

Estes jogos exigem o Plugin Macromedia Flash 5, senão o tiveres instalado descarrega-o gratuitamente neste link  >>

 


Descobrimentos Abertura ao Mundo Comercio ColonialNovos Valores Europeus Renascimento Mentalidade Moderna Reformas Religiosas Barroco Barroco Português União Ibérica

  Restauração Sociedade de Ordens Mercantilismo Iluminismo Invenções Despotismo pombalino Revolução Industrializada  Mundo Industrializado Industrialização caso Português

Revoluções Liberais Revolução Liberal Portuguesa

Partilhado do Mundo  Imperialismo   Pós 1ª Guerra Mundial  Revolução Soviética  Primeira República  Sociedade e Cultura 

Anos Trinta Ditadura e Democracia  Ditadura e Democracia (2) Segunda Guerra Mundial  Pós Segunda Guerra Mundo Contemporâneo

Portugal Autoritário

 

ESPECIAL

sabes os Cognomes do nossos reis ?

     

  • Dinastia Afonsina >>
  • Dinastia Joanina >>
  • Dinastia de Bragança

--

Blog Widget by LinkWithin

publicado por ana às 17:45
link do post | comentar | favorito
|

A Peste Negra

 

 

A Peste Negra foi uma epidemia que atingiu a Europa, a China, o Médio Oriente e outras regiões do Mundo durante o século XIV (1347-1350), matando um terço da população da Europa e proporções provavelmente semelhantes nas outras regiões. A peste não só dizimou a população como largamente veio agravar as condições de vida de uma Europa já muito fustigada por fomes e guerras.
Durante o período de revolução e de catástrofe que causou, instituições milenares como a Igreja Católica foram questionadas, novas formas de religião místicas e de pensar prosperaram e minorias inocentes como os leprosos e os Judeus foram perseguidas e acusadas de serem a causa da peste.

A Peste Negra em Portugal

 
Em nome de Deus Amén.
Porque em o ano da era de 1386 (1348) anos veio a pestilência, a mor­tandade por todo o mundo foi tão grande que não ficou viva a dízima dos homens que então aí havia, e em todo o dito ano morreram o prior e o chantre (o mestre do coro) e todos os raçoeiros (os que recebiam parte da renda dos mosteiros) da igreja de S. Pedro de Almedina de Coimbra uns depois dos outros todos em um mês.

Virgínia Rau, Un document portugais sur Ia peste noire de 1348, Separata de Annales du Midi, 1966

 

Assuntos do blog:
publicado por ana às 17:44
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

O Séc XIV em Portugal

 

 

1315/19 - Fome (devido à destruição de semen­teiras por chuvas abundantes)

1333 - Fome (seca)

1348 - Peste Negra

1355/56 - Crise de cereais (seca)

1361 - Epidemias

1364/66 - Peste e crise de cereais (falta de mão­-de-obra)

1371/72 - Crise de cereais (guerra e inunda­ções)

1384 - Surto de peste (um dos maiores de sempre no país)

1384/87 - Crise de cereais (guerra com Castela)

1391/92 - Crise de cereais (falta de mão-de-obra)

1394 - Fome (falta de mão-de-obra)
 
Assuntos do blog:
publicado por ana às 17:43
link do post | comentar | favorito
|

Lei das Sesmarias

 

 

 
A Lei das Sesmarias foi promulgada em Santarém a 28 de Maio de 1375, durante o reinado de D. Fernando I. Insere-se num contexto de crise económica que se manifestava há já algumas décadas por toda a Europa e que a peste negra veio agravar. Toda a segunda metade do séc. XIV e quase todo o séc. XV foram período de depressão. A peste negra levou a uma falta inicial de mão-de-obra nos centros urbanos (locais onde a mortandade foi ainda mais intensa) que, por sua vez, desencadeou o aumento dos salários das actividades artesanais; estes factos desencadearam a fuga dos campos para as cidades. Após estas consequências iniciais verificou-se, e tornou-se característica deste período, a falta de mão-de-obra rural que levou à diminuição da produção agrícola e ao despovoamento de todo o País. A lei das Sesmarias e outras disposições locais anteriores pretendiam fixar os trabalhadores rurais às terras e diminuir o despovoamento. Segundo Virginia Rau as causas que levaram à promulgação desta lei foram: a escassez de cereais, a carência de mão-de-obra, o aumento dos preços e dos salários agrícolas, a falta de gado para a lavoura, a diferença entre as rendas pedidas pelos donos da terra e os valores oferecidos pelos rendeiros e o aumento dos ociosos e vadios. A lei pretendia: obrigar os proprietários a cultivar as terras mediante pena de expropriação, obrigar ao trabalho na agricultura a todos os que fossem filhos ou netos de lavradores e a todos os que não possuíssem bens avaliados até quinhentas libras, evitar o encarecimento geral fixando os salários rurais, obrigar os lavradores a terem o gado necessário para a lavoura e fixando o preço do mesmo gado, proibir a criação de gado que não fosse para trabalhos de lavoura, fixar preços de rendas, aumentar o número de trabalhadores rurais pela compulsão de mendigos, ociosos e vadios que pudessem fazer uso do seu corpo. A grande novidade desta lei é a instituição do princípio de expropriação da propriedade caso a terra não fosse aproveitada. Procurava-se repor em cultivo terras que já o haviam tido e que os factos já mencionados tinham transformado em baldios. A lei das Sesmarias foi como que uma reforma agrária. No entanto, não se sabe com clareza até que ponto foi cumprida e em que medida contribuiu para uma restruturação da propriedade e para a resolução da crise.
Assuntos do blog:
publicado por ana às 17:43
link do post | comentar | favorito
|

A Acção de D.João II

 

 

 
 
 
Com D. João II (1481-1495), a coroa assume decididamente a política de expansão marítima: fortalece-se o domínio português a sul das Canárias através do tratado de Alcácovas- Toledo (1479-1480), explora-se economicamente a zona do Golfo da Guiné a partir da feitoria da Mina e intensifica-se a busca da passagem do Atlântico para o índico. Para atingir este último objectivo, avançam as viagens de Diogo Cão e de Bartolomeu Dias ao longo da costa africana; ao mesmo tempo, Afonso de Paiva e Pêro da Covilhã procuram, por terra, recolher informações sobre a navegação e comércio no Índico e localizar o reino do Preste João.
 
 
 
 
 
 
 


Caminho percorrido pela expedição de V. da Gama (a preto). No mapa está também o caminho percorrido por Pêro da Covilhã (a laranja) separado de Afonso de Paiva (a azul) depois da longa viagem juntos (a verde).
Assuntos do blog:
publicado por ana às 17:42
link do post | comentar | favorito
|

S.Jorge da Mina

 

 

 
 
 
 
 
A feitoria na costa da Guiné marca a primeira tentativa da ocupação portuguesa na África. Construído com o pretexto de divulgar o cristianismo entre os povos africanos, o seu verdadeiro objectivo era garantir o escoamento da malagueta, do marfim e do ouro que para aí era enviado das ricas regiões auríferas do interior. E também organizar o lucrativo comércio de escravos. O forte de São Jorge da Mina (mandado construir por D. João II) para lá de todo o tráfico comercial que exercia, tornar-se-ia o primeiro entreposto de escravos da era moderna e o pólo a partir do qual os reinos de Benin e Daomé seriam dizimados. Começava aqui o reverso da medalha da epopeia dos descobrimentos. Milhões de escravos negros serão capturados, retirados de suas casas, arrancados à vida e vendidos como animais sem alma em terras por desbravar.
Assuntos do blog:
publicado por ana às 17:42
link do post | comentar | favorito
|

A Prioridade Portuguesa: Os Conhecimentos Técnicos

 
 
 

 

Ampulheta

 
 

 

Quadrante (permitia determinar a distância entre o ponto de partida e o lugar onde a embarcação se encontrava, baseado na altura da Estrela Polar)


Bússola


 


 

Balestilha (para medir a altura de um astro)


 

Astrolábio (para medir a altura dos astros acima do horizonte)



 

A Caravela portuguesa deriva da longa tradição árabe das embarcações pesqueiras do sul do país (Algarve). O aperfeiçoamento deste tipo de embarcação resultou num novo e versátil tipo de navio, que proporcionou viagens mais rápidas a longa distância.No início do séc. XV começa a ser utilizada nas viagens marítimas dos Descobrimentos portugueses, sobretudo ao longo da costa africana. Eram navios ligeiros, rápidos, capazes de navegar em todas as águas e com todos os ventos. As suas velas triangulares, vela latina, permitiam-lhes bolinar, isto é, navegar com ventos contrários.
 

publicado por ana às 17:41
link do post | comentar | favorito
|

Navegação Astronómica

Navegação Astronómica

 


Se a primeira etapa dos Descobrimentos é marcada pela coragem e audácia dos responsáveis políticos e dos seus navegadores, esta também se fundamenta na capacidade de síntese e fusão de diferentes conhecimentos e experiências culturais.
A nossa posição geográfica permitia o acesso privilegiado a duas culturas náuticas distintas: a navegação no Mediterrâneo e no Atlântico Norte. Por outro lado, soubemos reconhecer e estudar a riqueza do conhecimento astronómico árabe. Do ponto de vista cartográfico, absorveu-se o conhecimento maiorquino e catalão.
Para se libertarem da navegação costeira e aproveitarem os ventos oceânicos, que os navegadores portugueses souberam dominar e compreender, foi fundamental um investimento sistemático na navegação astronómica.
Tal acontece, já no reinado de D. João II, através da generalização nos navios portugueses da náutica astronómica, com utilização de instrumentos de medição de alturas. São elaborados extensos roteiros e feitos reconhecimentos hidrográficos. A própria cartografia surge renovada, como consequência da navegação astronómica.
Através da cuidadosa (e sigilosa) recolha e sistematização de informação, forma-se um espírito de escola entre pilotos e outros mareantes portugueses. Obras tão importantes como o “Tratado da Agulha de Marear” de João de Lisboa, discutem a fundo as limitações e as potencialidades, não só dos instrumentos de navegação, como a construção naval e o domínio do cada vez mais domesticado sistema de ventos.
 
in, http://museu.marinha.pt/
Assuntos do blog:
publicado por ana às 17:40
link do post | comentar | favorito
|
Este Blog dedica-se à postagem de fotos,artigos e videos que circulam livremente na internet. Qualquer anomalia ou problema de funcionamento e/ou copyright não é da responsabilidade deste Blog, dado que o mesmo se baseia em hiperligações ou links. Eventuais reclamações e outras solicitações deverão ser feitas unica e exclusivamente nas respectivas fontes de origem. Ana Márcia

.mais sobre mim

.Assuntos do blog

. 16th and 17th

. 2.ª invasão francesa

. 25 de abril

. a acção de d.joão ii

. a carreira da índia

. a crise dinástica e a união ibérica

. a crise do império português do oriente

. a escola de atenas

. a formação da mentalidade moderna

. a peste negra

. a pintura renascentista

. a prioridade inglesa na revolução indust

. a prioridade portuguesa: os conhecimento

. a revolta das colónias americanas

. actividades

. alterações na produção

. antropocentrismo

. arquitectura

. arquitectura do renascimento

. as grandes culturas americanas

. carreira da índia

. como estudar história?

. constituição de 1822

. crise do séc.xiv

. cristóvão colombo

. d. joão vi e a corte no brasil

. da crise comercial às primeiras medidas

. denúncias na inquisição de lisboa

. desafio

. descobrimentos portugueses

. do geocentrismo ao heliocentrismo

. economia global xvii-xviii

. enigma

. estilo manuelino

. filme: novo mundo.

. história pelas imagens

. império português do oriente

. individualismo

. jogos

. karl marx

. lei das sesmarias

. mapas de história

. marquês de pombal

. napoleão bonaparte

. navegação astronómica

. o barroco e a talha dourada

. o capitalismo comercial

. o convento de mafra

. o desastre das ponte das barcas

. o fisiocratismo

. o homem novo

. o humanismo

. o iluminismo

. o liberalismo

. o regicídio

. o séc xiv em portugal

. pintura renascentista em portugal

. porque o mundo mudou...

. reconstrução de lisboa

. reforma e contra-reforma

. reforma protestante

. renascimento

. revolução agricola e industrial

. revolução americana

. revolução demográfica- século xviii

. revolução francesa

. revolução industrial

. s.jorge da mina

. sites

. teatro

. terramoto

. tratado de tordesilhas

. vítimas da inquisição

. todas as tags

.arquivos

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

.posts recentes

. ...

. A Peste Negra

.últ. comentários

Gostei muito as emformaçoes na qual aprendi...
Gostei muito as emformaçoes na qual aprendi...

.mais comentados

17 comentários
3 comentários
1 comentário

  

ESCREVE-ME

POR MAIL...

 

OU ENTÃO

Deixa recadinho...

clica na caixa em cima

        Mais  Disciplinas que fiz

   

 

 

 

 


 

Free Blog Content


 

Conceitos

Caravela - embarcação de dois ou três mastros, com velas triangulares (velas latinas) que permitiam navegar com ventos contrários (bolinar).
 
 
 
 
Cartografia - Ciência que se dedica à representação gráfica e convencional da Terra ou parte dela.
 
 
 
 
Geocentrismo
Teoria explicativa do Universo que defende que a Terra está fixa e é o centro do Universo.

 
 
 
Mare Clausum- Expressão latina que significa "mar fechado", ou seja, a restrição da navegação a alguns Estados.
 

1º Vice-Rei da Índia

1º Vice-Rei da Índia
D. Francisco de Almeida

 

Bartolomeu Dias

Bartolomeu Dias nasceu cerca do ano de 1450 e foi um célebre navegador português. Em 1486, D. João II confiou-lhe o comando de duas caravelas e de uma naveta de mantimentos com o intuito público de saber notícias do Preste João. O propósito não declarado da expedição seria investigar a verdadeira extensão para Sul das costas do continente africano, de forma a avaliar a possibilidade de um caminho marítimo para a Índia. Descobriu o Cabo das Tormentas, actual Cabo da Boa Esperança e regressou a Lisboa em Dezembro de 1488.
Bartolomeu Dias foi o primeiro navegador a navegar longe da costa no Atlântico Sul. A sua viagem, continuada por Vasco da Gama, abriu o caminho marítimo para a Índia.
 Ptolomeu
Ptolomeu foi um cientista grego que nasceu no século II d. C. e viveu em Alexandria na província romana do Egipto. Era astrónomo, geógrafo e cartógrafo. Lançou as bases da geografia matemática e da cartografia no tratado Guia de Geografia, obra que só em 1405 chegou ao conhecimento dos europeus.

 
 
 

Gil Eanes

Gil Eanes foi um navegador português, natural de Lagos, escudeiro do Infante D. Henrique. Foi o primeiro a navegar para além do Cabo Bojador, em 1434, depois de muitas tentativas. O Infante D. Henrique conseguiu incentiva-lo a tentar essa proeza.
Dobrar o cabo, reforçou o papel de Portugal como nação marítima.
De acordo com Gil Eanes, o Infante armou-o cavaleiro.
 

 


Selos alusivos aos Descobrimentos representando a barca,

o barinel, a caravela e a nau

 

Barquilha

Barquilha - É dos mais antigos aparelhos que se conhece destinados a medir a velocidade de um barco. A sua invenção é atribuída ao português Bartolomeu Crescêncio, fins do século XV princípios do século XVI.
 
 
 
Embarcações - Séculos XV e XVI
Embarcações - Séculos XV e XVI
Caravelas

História Divertida

 
 
 
 
 
 
 
 

 

 

e-mapps -

Mapa Interactivo da Europa

aceder aos vários países da Europa
e a um conjunto variado de jogos
sobre os países da Europa.
 
 

Actividades de História

Conheces a História de Portugal? responde às questões
 
 

 

Galeria de imagens

para trabalhos de História

 
 

 

 

SIITES  ESTUDO DA HISTÓRIA 

 

 

 

 

 

 DESEMBARQUE ALIADO

NA NORMANDIA

     

  Consulta...

vais gostar...

      

 

Civil War - Guns N' Roses

Guns 'n' roses - Sweet child o' mine

 

 

Editorial nº13

 

 

Castelos do Mundo

 

 links úteis...

Hospitais Públicos
Centros de saúde
Escolas Públicas
Associações
Farmácias Serviço
Bibliotecas
Museus
Parques e Jardins
Parques Zoológicos
Legislação
Segurança Infantil
Emergências
Crianças
    Desaparecidas

 

 

 


 Nascimento do Blog

Nascimento do Blog 
23 de Outubro de 2006

 

 

blogs SAPO

.subscrever feeds